Por favor vire o ecrâ na vertical para visualizar o website

INICIAR SESSÃO

REGISTAR

REPOSITÓRIO

METEOROLOGIA

Sexta-feira

Data: 2020-07-03

Max: 25ºC

Min: 11ºC

Sábado

Data: 2020-07-04

Max: 30ºC

Min: 12ºC

Domingo

Data: 2020-07-05

Max: 34ºC

Min: 16ºC

ENVIE PARA O JORNAL METEOROLOGIA ÚLTIMAS + LIDAS + PARTILHADAS HISTÓRICO DE NEWSLETTERSASSINATURA DIGITALINICIAR SESSÃOREGISTAR HISTÓRIA E ESTATUTO EDITORIAL POLITICA DE PRIVACIDADE / TERMOS DE USO FICHA TÉCNICA RELATÓRIO ANUAL DE GOVERNO SOCIETÁRIO

POLITICA

PSD/Águeda mantém retirada de confiança política aos seus eleitos

2020-06-24 07:45:44

FOTO SP

PSD/Águeda mantém retirada de confiança política aos seus eleitos

A Comissão Política de Secção (CPS) de Águeda do PSD mantém a decisão de retirada de confiança política aos seus seis elementos eleitos para a Assembleia Municipal (AM) - Ana Rita Carlos, Carlos Nolasco, Carlos Almeida, Hilário Santos, João Paulo Veiga e Marlene Gaio.

Na base desta decisão está o pedido de impugnação apresentado pelos membros do PSD na AM, referente às eleições para a Concelhia, que tiveram lugar no passado dia 7 de Dezembro de 2019.
Em Janeiro deste ano, a CPS do PSD anunciou que retirava a confiança política aos membros eleitos na AM que assinaram a impugnação, considerando essa atitude "inaceitável", e desafiou os autarcas a renunciarem aos respectivos mandatos.
Em Abril passado, ainda antes da decisão do Conselho de Jurisdição Distrital de Aveiro do PSD, que ratificou o resultado das eleições na Concelhia de Águeda, o presidente desta estrutura, Luís Tendeiro, numa carta dirigida a Brito Salvador, presidente da AM, dava conta que "a CPS mantém a retirada de confiança política" aos seis eleitos e que qualquer tomada de posição efectuada pelos mesmos não vincularia a Concelhia "laranja" de Águeda.
SP sabe que a estrutura local do PSD pretendia que os deputados se retratassem interna ou publicamente e que não o fazendo estão a "manter uma atitude que ultrapassa toda a razoabilidade e sentido de responsabilidade que o Partido exige".
Questionada na semana passada por SP, a CPS do PSD de Águeda referiu que "apenas as decisões emanadas da CPS, vinculam, pela legitimidade que lhe é conferida estatutariamente, a posição oficial do PSD de Águeda".